14 de Outubro de 2009

"A Amália é ao mesmo tempo coração e é cabeça, porque é muito inteligente mas há muito sentimento, quer dizer, aquilo é verdade, não há nada postiço. Daí que haja muito poucas meias tintas, as canções da Amália são quase todas muito tristes ou muito alegres, o registo intermédio é uma coisa muito difícil para ela. Não lhe sai. Da mesma maneira que há cabeça e coração, também há palavra e música.

Uma das coisas pelas quais ela nos faz falta hoje em dia é para percebermos nessa inteligência toda qual é a componente intuitiva e a componente consciente... Ela sempre fez o que quis. O Coração independente é tudo menos uma figura, ela de facto era uma interprete que tinha de se sentir bem naquilo que cantava. Onde está entrega-se por completo; diverte-se ou sofre. Uma das Amália não é mais Amália que a outra Amália. A riqueza da personagem também assenta muito nessa contradição. Depois imagine o que é uma pessoa com esta cabeça, com este mundo, com estas coisas todas e ainda por cima com aquela voz. Que dizer...assim não vale..."

 

David Ferreira (filho do David Mourão-Ferreira)

em depoimento oral ao Jornal de Letras.

publicado por carlos lopes às 13:57

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

4 seguidores
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


arquivos
2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO