09 de Julho de 2010

Nos meus “vintages” o meu quarto era uma desarrumação consequente, com os LP’s arrumados por género e, dentro da música negra, arrumados por estilo e escola. Livros, dezenas e dezenas e dezenas, arrumados pelo sistema “onde a mão o deixar ele fica”. Cassetes áudio gravadas da rádio e outras experiências malucas de quem compra o primeiro gravador aos 18 e pensa não só que sabe mais que o “maralhal” das editoras como tem mais sentido estético.

E nas paredes? – Perguntais.

Pois…ah…ah…pois…ah…Nas paredes posters centrais da Playboy brasileira (o que levou a minha tia, que nos visitou no inverno, a dizer – olha que as raparigas ainda se constipam!)

Quanto ao meu quarto, ponham-lhe mais 30 anos em cima, acrescentem-lhe cassetes VHS, CD’s, DVD’s, coisas ligadas à informática e livros e livros e livros.

Mas falta explicar o porquê deste arrazoado todo. A Playboy portuguesa decidiu fazer uma homenagem a José Saramago e, ao que parece, a fotografia da capa (e não só, e não só) mexeu com certas consciências (o que me levam sempre a perguntar-me se sabem o significado da palavra consciência).

Portanto fica aqui a minha intenção de voltar a comprar a Playboy, pelo menos este número, e eis aqui a fotografia:

publicado por carlos lopes às 19:52

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


arquivos
2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO